Doce ilusão

Doce ilusão e mistério
Você me tira do sério
Tem vocação em querer me iludir.
Teu coração insincero
Me julga por tolos critérios
nessa canção que eu já cansei de ouvir.

Doces palavras são ditas,
Eu pergunto se ainda acreditas
Nas juras de amor que um dia fizemos.
Você me responde, no entanto,
Que o teu amor um dia foi tanto,
Pois as paixões sempre nos tornam mais cegos.

Eu já não posso descrever
como é viver sem você
Nas tardes de inverno dessa cidade tão triste.
Por onde viaja meu pensamento,
Em que lugar, em qual momento
Vou te provar que esse amor ainda existe.

Decerto que a minha loucura
Foi perder-me na tua cintura
E nos doces beijos dessa boca tão linda.
Hoje essa saudade me fere
Com o desejo à flor da pele,
Volta meu bem, você ainda é bem-vinda!

Tempo sombrio

O que são as lágrimas

Diante de uma cratera negra
Que se tornou o meu amor?
Brindo a morte com risos
Do que restou;
A carta de amor eu já rasguei
Não tem mais sentido;
Já sequei as lágrimas;
Não me pergunte por quem;
Viro a página;
Vou dormir
Só me acorde quando tiver
Algo novo;
Ah não me venha com flores
Nem palavras doces;
Em mim só o amargo;
Parei de acreditar;
Que venha a realidade,
Estou pronta para mais uma batalha.

Como esconder!?

Te venero, pois minhas lágrimas

Não cessam por ti…
Escrevo meus versos tentando
Chamar tua atenção, ilusão…

Te sinto, às vezes acho destino
Fico em silêncio, mais a dor
Aumenta há cada minuto…

Preciso sentir teu abraço p’ra me
Sentir protegida….

Até quando viverei, com um amor,
Que me fortalece tanto,
Mas mata-me em minutos!

Não posso mais, fingir que não
Te amo… que não te quero…

Eu me rendo!
Já não consigo viver sem ti…!