Concurso de Trovas do México

Tema:  Selva

1°lugar

De rude um índio é tachado

pelo mesmo cidadão

que, dito civilizado,

leva à selva destruição.

Edweine Loureiro da Silva – Saitama – Japão

2°lugar

Em atitude funesta,

a ganância, sem decreto,

transforma cada floresta

numa selva de concreto.

Maurício Cavalheiro – Pindamonhangaba – SP

3°lugar

Ah, velha selva, que dó:

queimaram teu verde encanto…

– A cinza, lágrima em pó,

é o que restou do teu pranto.

  1. A. de Assis – Maringá – PR 

4°lugar

Mundo hodierno sem afeto,

de mil prédios, espigões…

Nesta selva de concreto

proliferam solidões.

Márcia Jaber – Juiz de Fora – MG 

5°lugar 

No meu ocaso tristonho,

sou a  selva ressequida:

na verde relva do sonho,

sou simples folha  caída!

 Alba Helena Corrêa – Niterói –  RJ.

Menção Honrosa

1° lugar

Muitos “sepulcros caiados”

seguindo um falso decreto,

sepultam sonhos dourados

entre as selvas de concreto!

Professor Garcia – Caicó – RN

2° lugar

O mal cresce, o bem recua,

não há mais tranquilidade.

Com tanto crime na rua

a selva hoje é a cidade.

Antônio Francisco Pereira – Belo Horizonte – MG

3° lugar

Na selva mais primitiva

não há mais dor, crueldade…

Que a violência coletiva

dos ‘selvagens’ da cidade!

Altair Fernandes Carvalho – Pindamonhangaba – SP

4° lugar

Para ter-se bela relva

cuide bem, evite danos,

pois predadores da selva…

Chorarão os seus enganos!

MIFORI – São José dos Campos – SP

5° lugar

Selva, bosque, mar e serra,

são  as  selvagens  guaridas:

espaços  em  nossa  Terra

que é o sinal verde das vidas!

Elias Pescador – São Paulo – SP

Menção Especial

1° lugar

Na falta de consciência,

dos maus que fazem queimadas,

a selva pede clemência,

em prantos, nas enxurradas.

Romilton Faria – Juiz de Fora – MG 

2° lugar

Se no peito o amor não medra,

os sentimentos rastejam

e nesta selva de pedra,

as roseiras não vicejam.

Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho – Juiz de Fora – MG

3° lugar

Deus nosso mundo criou

com virtude soberana,

mas ele se transformou

numa imensa selva humana.

António José Barradas Barroso – Parede – Portugal

4° lugar

A densa selva combate

o aquecimento global,

e seu constante desmate

faz a Terra passar mal.

Nelson de Souza –  Atibaia – SP 

5° lugar 

Qual matrona… carinhosa…

pela América Central –

A selva misteriosa

mantém a vida ancestral.

Célia Terezinha Neves Vieira – Irati – PR

Fonte: Maria Luíza Walendowski

Blog


Luiz Carlos Bernardes, mineiro nascido na cidade de Campanha em 1958  e já campeão do mundo. Alguém que gosta de artes principalmente literatura. Duas filhas lindas e sempre fontes de inspiração.

—————————————————-

Minha intenção é ajudar na divulgação da leitura, compartilhar textos de autores sejam amadores ou profissionais, incentivar o bom hábito de ler um livro, um jornal, uma revista, pois o conhecimento, a descoberta, é o caminho para o crescimento.

Ler, a arte de descobrir aos pouquinhos.

—————————————————-

Além dos colaboradores, diversos textos e imagens são retirados das mais variadas fontes, dando-se os devidos créditos. Caso existam erros, peço a colaboração para as devidas correções.

—————————————————-

As informações sobre os diversos concursos são tiradas dos sites de origem. Se encontrar algum erro, por favor informe.

—————————————————-

Parceiros literários

                 

 

—————————————————

Resultados

VII CONCURSO LITERÁRIO DA AML

7º PRÊMIO CAMPOS DO JORDÃO DE LITERATURA

1º PRÊMIO LITERÁRIO DE REGISTRO – PRÊMIO GUARACUÍ

PRÊMIOS LITERÁRIOS DA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL – 2019

COLETÂNEA SAUDADES SEM FIM – PROJETO APPARERE

CONCURSO LITERÁRIO SIDÔNIO FERNANDES

III JOGOS FLORAIS DE ITAOCARA – RJ

PRÊMIO BARUERI DE LITERATURA 2019

4º PRÊMIO RIO DE LITERATURA

CONCURSO DE POESIA LIVRE

CONCURSO INTERNACIONAL DE LITERATURA DA UBE – RJ

15º CONCURSO LITERÁRIO MARIO QUINTANA

ANTOLOGIA UM LIBRETO E CEM SONETOS – CARTOLA EDITORA

10º PRÊMIO ESCRIBA DE CONTOS

PRÊMIO MINUANO DE LITERATURA

CONCURSO ADÉLIA PRADO – AFEMIL 2019