IV Concurso de Trovas da UBT Cachoeira do Sul

(Trovas Premiadas)

VETERANOS

Tema: Chuva

Bem-vinda a chuva que encerra
a seca triste, inclemente,
e rega o ventre da terra
para brotar a semente!
Francisco Garcia

A falta de empenho estraga
os sonhos de ser feliz
que a chuva do tempo apaga
o que a gente escreve a giz!
Arlindo Tadeu Hagen

O tempo às vezes destroça
o amor calmo…ou mesmo arisco:
o nosso foi chuva grossa
e hoje é apenas um chuvisco!
Edmar Japiassú Maia

Eu tentei — você bem sabe —
esquecer nossas andanças,
mas não há chuva que acabe,
com fogaréu de lembranças.
José Almir Loures

Age com calma e medida,
em dose certa e sensata…
mesmo a chuva que dá vida,
quando é demais, também mata!
Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto

MENÇÕES HONROSAS

As gotinhas transparentes
da chuva formam um véu
e, qual maná são presentes
que Deus envia do céu!
Alba Helena Corrêa

O tom da chuva parece
algum recado de Deus
ao julgar o tom da prece
que ele ouviu dos filhos seus.
Plácido Ferreira do Amaral Júnior

Sobre os lábios desprezados,
em meio a tanta aridez,
meus olhos, dois céus nublados,
prometem chuva outra vez…
Jerson Brito

É quando a chuva fininha
chega e molha a tarde lenta,
que a saudade vem, se aninha,
e a solidão mais aumenta…
Gilvan Carneiro

Nas chuvas ou na estiagem,
um pomar ao pé da serra
é um prêmio a quem tem coragem
de tocar as mãos na terra!
Renata Paccola

MENÇÕES ESPECIAIS
Quando a chuva é generosa,
torna-se farta a colheita
e a natureza orgulhosa,
de flores, frutos , se enfeita!
Alba Helena Correa

O relâmpago, o trovão,
a festa da agricultura…
A chuva engravida o chão
e do chão nasce a fartura.
A. A. de Assis

A chuva é drama e comédia,
pois, nessa dupla função,
se, às vezes, causa tragédia,
também dá vida ao sertão!!!
Maria Madalena Ferreira

A chuva leve e meu pranto
gotejando em sintonia
alternam, num acalanto,
a paz e a melancolia!
Renata Paccola

A chuva que cai lá fora,
parecendo tempestade,
é meu coração que chora
num dilúvio de saudade.
Antônio Francisco Pereira

NOVOS TROVADORES

Tema: Chuva

VENCEDORES

Cai chuva! Cai no telhado,
no chão e na plantação.
Faz brotar todo o roçado,
na secura do sertão.
Maria Eunice Silva de Lacerda

Na cidade, ela castiga,
irrita a população,
mas, na roça a chuva instiga
o verde a brotar do chão.
José Carlos Defilippo

A chuva é água corrente
que alimenta nossas vidas
para seguirmos em frente
limpando as fundas feridas.
Adilson Roberto Gonçalves

Ao som de linda sonata,
brilhando no meu rincão,
a lua, chuva de prata,
irriga o meu coração.
Regina Rinaldi

Comissão Julgadora:
Flávio Stefani,
Lisete Jonhson e
Marília Oliveira

PARABÉNS AOS VENCEDORES!!!

Fonte:
Jaqueline Machado (Facebook)

 

XVIII Concurso de Trovas UBT Caicó

ÂMBITO NACIONAL
TEMA: SOPRO

1° LUGAR: MARIA MADALENA FERREIRA
Respeito as brisas serenas
mais que um vento que me esmague,
porque eu sei que um sopro apenas…
… faz com que a vida se apague!!!…

2° LUGAR: MAURÍCIO CAVALHEIRO
Quando a vida se resume
em um mar que se encapela
a fé é o sopro que assume
meu pequeno barco à vela.

3° LUGAR: CAROLINA RAMOS
Se a chama de arder se cansa,
das cinzas o amor se esgueira…
mas… um sopro de esperança
reaviva qualquer fogueira!

4° LUGAR: MARÍLIA OLIVEIRA
Teu retrato some lento,
vai turvando, a empoeirar;
e a poeira é o esquecimento
que eu desisti de soprar.

5° LUGAR: CEZAR AUGUSTO DEFILIPPO
Roça… Saudade tem asas…
Lembro a mãe, – que Deus a tenha –
seu sopro, atiçando as brasas
do velho fogão à lenha…

6° LUGAR: RENATO ALVES
Não há tratamento igual,
Nem pomadas, nem polvilhos…
Sopro de mãe tira o mal
das feridas dos seus filhos!

7° LUGAR: JOSÉ ALMIR LOURES
O teu retrato guardado,
ao revê-lo, sinto o efeito,
de um sopro do meu passado,
que faz tufão em meu peito.

8° LUGAR: SÉRGIO FONSECA
O perfumado arrepio
de tuas mãos carinhosas
tem esse sopro macio
que acorda o sono das rosas…

9° LUGAR: MARIA HELENA OLIVEIRA COSTA
Esse sopro libertário,
que conduz a nau da vida,
sem errar o itinerário,
tem chegada e tem partida…

10° LUGAR: RELVA DO EGYPTO
O solar abandonado,
que foi meu palco em criança,
traz as cenas do passado
no sopro da brisa mansa.

11° LUGAR: EDUARDO S. SMOZONA
O sopro da mãe zelosa,
remédio que cura mais.
Sobre a chaga dolorosa,
abranda os prantos e os ais.

12° LUGAR: MÁRIO MOURA MARINHO
Assim que a aurora desponta,
o vento, em sua magia,
com sopros às nuvens, monta
todo o céu de poesia.

13° LUGAR: SANDRO PEREIRA REBEL
O amor que tive por ela
hoje é só lembrança vaga,
qual luz mortiça de vela
que um sopro qualquer apaga.

14° LUGAR: THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA
Quando chegas, mesmo às pressas,
estando, nós dois, a sós
há mil juras e promessas,
no sopro da tua voz!

15° LUGAR: LUGAR: JERSON LIMA DE BRITO
No teu sussurro extravasas
um sopro avassalador
que mantém vivas as brasas
da fogueira deste amor.

Comissão Julgadora:
Professor Garcia
Hélio Alexandre
Mara Melinni Garcia.
==============================================================

RESULTADO DO XVIII CONCURSO DE TROVAS DO CTS/UBT CAICÓ 2019
TEMA: SOPRO – NOVO TROVADOR

1º lugar: José Rui Camargo –Taubaté/SP
Pouco vale prata ou fama,
Nada vai na despedida,
A existência é mera chama,
Basta um sopro e acaba a vida.

2º lugar: Paulo Maurício Gomes da Silva – Teresópolis/RJ
Termina o drama sem corte,
ao fim da página lida…
É quando o sopro da morte
cerra o livro desta vida.

3º lugar: Adilson Roberto Gonçalves – Campinas/SP
Pra tirar o pó do amor
saiba que o melhor caminho
sequer passa pela dor:
basta um SOPRO de carinho.

4º lugar: Maria Dulce Lima Pessoa – Tabira/PE

Foste o meu poema escrito,
livre das ondas – na areia,
sopro de luz no infinito
que o mundo agora cerceia!5° lugar: Rosicler Antoniácomi Alves Gomes – Ponta Grossa/PR
Só podemos conhecer
a grande força do amor
porque a alma em nosso ser
é sopro do Criador.

=====================================================

XVII CONCURSO DE TROVAS DO CTS/UBT/CAICÓ-RN/2019
ESTADUAL – TEMA: RASCUNHO:

1º lugar- Ieda Lima – Caicó-RN
Sem lamento, eu testemunho
que não quero o seu regresso!
Eu cansei de ser rascunho
de quem não me quis impresso.

2º lugar – Magnus Kelly – Natal-RN
Quando papai fez partida,
eu tive, então, que ter punho
para dar sequência à vida,
baseado em seu rascunho.

3º lugar – Lucélia Santos – Patu-RN
Aquele amor não vivido
De tanto esperar, sem jeito!
Hoje é rascunho esquecido
Na gaveta do meu peito.

4º lugar – Manoel Cavalcante – Pau dos Ferros-RN
Rascunho… verso borrado…
e na alma um contraste aberto:
escrevi de modo errado
o amor que tenho por certo.

5º lugar – Marciano Medeiros –Parnamirim-RN
Por erros não me acabrunho
nem fico em cima do muro,
dos tombos fiz meu rascunho
para o livro do futuro.

6º lugar – Hélio Pedro Souza – Natal-RN
Nas cartas expus a dor,
transcritas de próprio punho,
pondo fé num falso amor
que não passou de um rascunho…

7º lugar – Fabiano de Cristo M. Wanderley – Natal-RN
Quando o meu destino apuro,
procuro me descrever…
Rascunho o tempo futuro,
salvaguardando o viver.

8º lugar – Aline Ribeiro – Natal-RN
Sigo os rascunhos dos sonhos
que tracei quando criança…
faço, dos dias tristonhos,
meu trampolim de esperança.

9º lugar – Mara Melinni Garcia – Caicó-RN
Rasgaste, em cada metade,
nós dois… E o amor se desfez…
Num rascunho que a saudade
não vai juntar outra vez!…

10º lugar – Professor Maia – Caicó-RN
Os arquitetos de rimas,
com os seus pincéis em punho;
fazem suas obras primas,
sempre depois de um rascunho.

11º lugar – Eva Yanni Garcia – Caicó-RN
Vou vivendo a passos lentos
e se houver dia tristonho,
eu desfaço os meus lamentos
nos rascunhos do meu sonho…!

12º – lugar – Francisco Gabriel – Natal-RN
Com sonhos! Já não me iludo.
Vislumbrando o fim da estrada,
faço rascunho de tudo,
sem ter projeto de nada.

13º Lugar – Expedito Jorge de Medeiros – Caicó-RN
É bastante imprescindível
para o nosso testemunho,
que haja uma prova visível;
não apenas um rascunho.

14º – Professor Garcia
Do amor, que fomos cativos,
que, foi tão sincero e franco…
Restam velhos negativos,
e um rascunho em preto e branco!

15º – Valdemar Juvino de Araujo – Serra Negra do Norte-RN
Nem de tudo em minha vida
posso dar meu testemunho,
pois parte dela, querida…
Fiz apenas um rascunho!

Comissão Julgadora:
A.A. de Assis
Joaquim Carlos Costa
Marialice Veloso
Renato Alves
Talita Batista

 

I Concurso de Trovas de Irati

MUNICIPAL: VETERANO

1º lugar: LUIZ VIEIRA – IRATI (PR)
Pega o néctar sem aleijo…
abelha… muito fiel!
Fecunda a flor com um beijo
e sai grávida de mel!
.
2º lugar: LUIZ VIEIRA – IRATI (PR)
Bem na alma da natureza,
abelha, com seu vigor,
planta vida com presteza…
no coração de uma flor.
…………………………………………

MUNICIPAL: NOVATO

1º lugar: CÉLIA TEREZINHA NEVES VIEIRA – IRATI (PR)
Abelha laboriosa
mas engenhosa também…
Ao beijar a flor mimosa
busca mel que ela contém.

2º lugar: CÉLIA TEREZINHA NEVES VIEIRA – IRATI (PR)
Pela campina florida,
no afã polinizador…
Abelha propaga vida
pousando de flor em flor.

3º lugar: TANI MORAES NEVES – IRATI (PR)
No mais alto vão da telha
como a praticar rapel,
descendo e subindo  a abelha
para produzir o mel!
……………………………………

ESTADUAL: VETERANO

1º lugar: ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS – MARINGÁ (PR)
Isto sim, amor, eu chamo
de alimento da alegria:
o mel que vem no “eu te amo”
que ouço ao fim de cada dia!

2º lugar: ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS – MARINGÁ (PR)
Vovozinho, triste e só,
olha a Lua e beija o anel.
Com saudade da Vovó,
relembra a lua-de-mel…

3º lugar: MARIA HELENA OLIVEIRA COSTA – PONTA GROSSA (PR)
Sei que os bons trazem nas veias
um sangue jamais revel;
que oferecem a mancheias,
somente favos de mel!…

4º lugar: ROSILENE TRAMONTIN – Ponta Grossa (PR)
Por este chão jorra o mel
com sabor de favo puro,
adoçando o coquetel
da cidade e do futuro!
…………………………………………..

ESTADUAL: NOVATO

1º lugar: ROSICLER ANTONIÁCOMI ALVES GOMES – PONTAGROSSA (PR)
Sou a abelha e te sustento
com cera, mel e melado.
E me dás como alimento
o pólen envenenado.

2º lugar: OLY CESAR WOLF – CAMPO LARGO (PR)
Além de prover sustento,
o mel adocica o lábio.
Assim é o conhecimento,
posto na mente do sábio.

3º lugar: OLY CESAR WOLF – CAMPO LARGO (PR)
Como a abelha faz o mel,
por ser escrava do instinto,
eu ponho aqui no papel
as coisas todas que sinto.
…………………………………

NACIONAL VETERANO:

1º lugar: AILSON CARDOSO DE OLIVEIRA – MAGÉ (RJ)
Colmeia cheia, fartura,
néctar de flores formosas,
de Irati Deus com ternura,
fez o mel puro das rosas.

2º lugar: CARLOS ALBERTO DE CARVALHO – SÃO GONÇALO (RJ)
Com as matas devastadas
choram rainha e zangão,
vendo as colmeias queimadas
nas fazendas do sertão.

3º lugar: ROBERTO RESENDE VILELA – POUSO ALEGRE (MG)
A colmeia nos ensina,
com notável singeleza,
como funciona a oficina
que se chama natureza.

4º lugar: ROBERTO RESENDE VILELA – POUSO ALEGRE (MG)
Toda colmeia retrata,
com destacada beleza,
o que é geometria exata,
e a arte da natureza.

5º lugar: MARCIANO BATISTA DE MEDEIROS – PARNAMIRIM (RN)
Nas queimadas percebi
que entre as cinzas da tristeza,
as colmeias de Irati
são prantos da natureza!

MENÇÃO HONROSA – NACIONAL VETERANO

MARIA MADALENA FERREIRA – MAGÉ (RJ)
Há na colmeia um zumbido,
que me lembra uma “babel”,
sempre que um favo espremido
resulta em litros de mel!!!

APARECIDA GIANELLO DOS SANTOS – MARTINÓPOLIS (SP)
Belo exemplo há na colmeia,
pelo doce, sempre unida…
Ah, quem dera a mesma ideia
fosse por nós repetida.

ARLINDO TADEU HAGEN – JUIZ DE FORA (MG)
Poeta, tu te assemelhas,
no mel que pões no teu verso
à figura das abelhas
na colmeia do Universo.

DODORA GALINARI- BELO HORIZONTE (MG)
Por mais distante que eu fosse
dessa colmeia -Irati-
teria a lembrança doce
do povo que habita em ti!

MARIA MADALENA FERREIRA – MAGÉ (RJ)
Houve tempos por aqui
de colmeias a granel!
– É por isso que Irati
quer dizer… “Rio de Mel”!
………………………………….

NACIONAL NOVATO:

1º lugar: ANA MARIA NASCIMENTO – PLANALTO ARACOIABA (CE)
Sem usar prosopopeia
para mostrar meu valor,
descobri numa colmeia,
da vida o grande sabor.

2º lugar: ANA MARIA NASCIMENTO – PLANALTO ARACOIABA (CE)
O meu caminho tristonho
transformou-se em odisseia,
quando pude ver em sonho
o valor d’uma colmeia.

3º lugar: MAX REIS – BELÉM (PA)
Colmeia não é compor
um favo de cem andares,
mas respeitar cada flor
nas curvas dos caminhares.

4º lugar: PAULO MAURÍCIO GOMES DA SILVA TERESÓPOLIS (RJ)
As asas da inspiração
são, em doce revoada,
como asas que vêm e vão
numa colmeia dourada…

5º lugar: ARTEMIZA CORREIA – OCARA (CE)
És minha doce odisseia
e razão do meu viver,
meu coração é colmeia
habitat para o teu ser!

MENÇÃO HONROSA – NACIONAL NOVATO

PAULO MAURÍCIO GOMES DA SILVA – TERESÓPOLIS ( RJ)
O poema natural
tem, às vezes, por plateia,
muitas asas de cristal
em torno de uma colmeia…

ARTEMIZA CORREIA – OCARA (CE)
Engenheira a natureza,
em silêncio sem plateia,
com peculiar beleza,
constrói perfeita colmeia!

MAX REIS – BELÉM (PA)
Do zum-zum-zum das abelhas
de uma colmeia no forro
pingava mel pelas telhas
no lar mais doce do morro.

MARCO AURÉLIO GOULART – ITAPECURU-MIRIM (MA)
Verdadeira panaceia
que cura maus sentimentos,
nosso amor é uma colmeia
cheia de doces momentos!

JULIANA DOS SANTOS BELGA – BELO HORIZONTE (MG)
Quem conheceu Irati
viu um pedaço do céu.
A colmeia deixou doce
aquele Rio de Mel.
……………………………..

HUMOR VETERANO:

1º lugar: MÁRCIA JABER – JUIZ DE FORA  (MG)
Vendo o velhote posudo
com a irrequieta gatinha,
aquele cara abelhudo
pergunta se era a netinha.

2º lugar: EDY SOARES – VILA VELHA (ES)
O casalzinho se amava
e, o papagaio abelhudo,
na janela resmungava:
– Também quero… ou conto tudo!

3º lugar: MAURÍCIO CAVALHEIRO – PINDAMONHANGABA  (SP)
O abelhudo, ao ser flagrado
bisbilhotando a vizinha,
foi gravemente atacado
por sua “abelha rainha”.

4º lugar: WANDA DE PAULA MOURTHÉ – BELO HORIZONTE (MG)
Dedurou-me a meu marido
o meu criado abelhudo.
Eu despedi o enxerido.
Tenho só “criado-mudo”.
…………………………….

HUMOR NOVATO:

1º lugar: MAX REIS – BELÉM (PA)
Metido a saber de tudo
falava e não tinha prova.
No enterro desse abelhudo
a língua não deu na cova.

2º lugar: CATERINA BALSANO GAIOSKI – IRATI (PR)
O cara muito abelhudo
é chato e inconveniente,
quer sempre saber de tudo,
da vida de toda gente.

3º lugar: VENCESLAU OLIVAL – NOVA FRIBURGO (RJ)
Surge logo um abelhudo
quando a abelha extrai o mel,
pois procura o linguarudo
fofoca para o seu fel!

4º lugar: JULIANA DOS SANTOS BELGA – BELO HORIZONTE (MG)
Eu queria ser sortudo
e sair dessa barraca,
mas meu azar abelhudo
me mantém na urucubaca.