XVIII Concurso de Trovas UBT Caicó

ÂMBITO NACIONAL
TEMA: SOPRO

1° LUGAR: MARIA MADALENA FERREIRA
Respeito as brisas serenas
mais que um vento que me esmague,
porque eu sei que um sopro apenas…
… faz com que a vida se apague!!!…

2° LUGAR: MAURÍCIO CAVALHEIRO
Quando a vida se resume
em um mar que se encapela
a fé é o sopro que assume
meu pequeno barco à vela.

3° LUGAR: CAROLINA RAMOS
Se a chama de arder se cansa,
das cinzas o amor se esgueira…
mas… um sopro de esperança
reaviva qualquer fogueira!

4° LUGAR: MARÍLIA OLIVEIRA
Teu retrato some lento,
vai turvando, a empoeirar;
e a poeira é o esquecimento
que eu desisti de soprar.

5° LUGAR: CEZAR AUGUSTO DEFILIPPO
Roça… Saudade tem asas…
Lembro a mãe, – que Deus a tenha –
seu sopro, atiçando as brasas
do velho fogão à lenha…

6° LUGAR: RENATO ALVES
Não há tratamento igual,
Nem pomadas, nem polvilhos…
Sopro de mãe tira o mal
das feridas dos seus filhos!

7° LUGAR: JOSÉ ALMIR LOURES
O teu retrato guardado,
ao revê-lo, sinto o efeito,
de um sopro do meu passado,
que faz tufão em meu peito.

8° LUGAR: SÉRGIO FONSECA
O perfumado arrepio
de tuas mãos carinhosas
tem esse sopro macio
que acorda o sono das rosas…

9° LUGAR: MARIA HELENA OLIVEIRA COSTA
Esse sopro libertário,
que conduz a nau da vida,
sem errar o itinerário,
tem chegada e tem partida…

10° LUGAR: RELVA DO EGYPTO
O solar abandonado,
que foi meu palco em criança,
traz as cenas do passado
no sopro da brisa mansa.

11° LUGAR: EDUARDO S. SMOZONA
O sopro da mãe zelosa,
remédio que cura mais.
Sobre a chaga dolorosa,
abranda os prantos e os ais.

12° LUGAR: MÁRIO MOURA MARINHO
Assim que a aurora desponta,
o vento, em sua magia,
com sopros às nuvens, monta
todo o céu de poesia.

13° LUGAR: SANDRO PEREIRA REBEL
O amor que tive por ela
hoje é só lembrança vaga,
qual luz mortiça de vela
que um sopro qualquer apaga.

14° LUGAR: THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA
Quando chegas, mesmo às pressas,
estando, nós dois, a sós
há mil juras e promessas,
no sopro da tua voz!

15° LUGAR: LUGAR: JERSON LIMA DE BRITO
No teu sussurro extravasas
um sopro avassalador
que mantém vivas as brasas
da fogueira deste amor.

Comissão Julgadora:
Professor Garcia
Hélio Alexandre
Mara Melinni Garcia.
==============================================================

RESULTADO DO XVIII CONCURSO DE TROVAS DO CTS/UBT CAICÓ 2019
TEMA: SOPRO – NOVO TROVADOR

1º lugar: José Rui Camargo –Taubaté/SP
Pouco vale prata ou fama,
Nada vai na despedida,
A existência é mera chama,
Basta um sopro e acaba a vida.

2º lugar: Paulo Maurício Gomes da Silva – Teresópolis/RJ
Termina o drama sem corte,
ao fim da página lida…
É quando o sopro da morte
cerra o livro desta vida.

3º lugar: Adilson Roberto Gonçalves – Campinas/SP
Pra tirar o pó do amor
saiba que o melhor caminho
sequer passa pela dor:
basta um SOPRO de carinho.

4º lugar: Maria Dulce Lima Pessoa – Tabira/PE

Foste o meu poema escrito,
livre das ondas – na areia,
sopro de luz no infinito
que o mundo agora cerceia!5° lugar: Rosicler Antoniácomi Alves Gomes – Ponta Grossa/PR
Só podemos conhecer
a grande força do amor
porque a alma em nosso ser
é sopro do Criador.

=====================================================

XVII CONCURSO DE TROVAS DO CTS/UBT/CAICÓ-RN/2019
ESTADUAL – TEMA: RASCUNHO:

1º lugar- Ieda Lima – Caicó-RN
Sem lamento, eu testemunho
que não quero o seu regresso!
Eu cansei de ser rascunho
de quem não me quis impresso.

2º lugar – Magnus Kelly – Natal-RN
Quando papai fez partida,
eu tive, então, que ter punho
para dar sequência à vida,
baseado em seu rascunho.

3º lugar – Lucélia Santos – Patu-RN
Aquele amor não vivido
De tanto esperar, sem jeito!
Hoje é rascunho esquecido
Na gaveta do meu peito.

4º lugar – Manoel Cavalcante – Pau dos Ferros-RN
Rascunho… verso borrado…
e na alma um contraste aberto:
escrevi de modo errado
o amor que tenho por certo.

5º lugar – Marciano Medeiros –Parnamirim-RN
Por erros não me acabrunho
nem fico em cima do muro,
dos tombos fiz meu rascunho
para o livro do futuro.

6º lugar – Hélio Pedro Souza – Natal-RN
Nas cartas expus a dor,
transcritas de próprio punho,
pondo fé num falso amor
que não passou de um rascunho…

7º lugar – Fabiano de Cristo M. Wanderley – Natal-RN
Quando o meu destino apuro,
procuro me descrever…
Rascunho o tempo futuro,
salvaguardando o viver.

8º lugar – Aline Ribeiro – Natal-RN
Sigo os rascunhos dos sonhos
que tracei quando criança…
faço, dos dias tristonhos,
meu trampolim de esperança.

9º lugar – Mara Melinni Garcia – Caicó-RN
Rasgaste, em cada metade,
nós dois… E o amor se desfez…
Num rascunho que a saudade
não vai juntar outra vez!…

10º lugar – Professor Maia – Caicó-RN
Os arquitetos de rimas,
com os seus pincéis em punho;
fazem suas obras primas,
sempre depois de um rascunho.

11º lugar – Eva Yanni Garcia – Caicó-RN
Vou vivendo a passos lentos
e se houver dia tristonho,
eu desfaço os meus lamentos
nos rascunhos do meu sonho…!

12º – lugar – Francisco Gabriel – Natal-RN
Com sonhos! Já não me iludo.
Vislumbrando o fim da estrada,
faço rascunho de tudo,
sem ter projeto de nada.

13º Lugar – Expedito Jorge de Medeiros – Caicó-RN
É bastante imprescindível
para o nosso testemunho,
que haja uma prova visível;
não apenas um rascunho.

14º – Professor Garcia
Do amor, que fomos cativos,
que, foi tão sincero e franco…
Restam velhos negativos,
e um rascunho em preto e branco!

15º – Valdemar Juvino de Araujo – Serra Negra do Norte-RN
Nem de tudo em minha vida
posso dar meu testemunho,
pois parte dela, querida…
Fiz apenas um rascunho!

Comissão Julgadora:
A.A. de Assis
Joaquim Carlos Costa
Marialice Veloso
Renato Alves
Talita Batista