Eventos culturais – Obras de autores diversos

———————————————————————————————————-

BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE PERNAMBUCO

———————————————————————————————————-

A LÂMPADA ACESA – Olivaldo Júnior

“Vem dormir, minha velha! Já tá tarde!…”, chamava o maria de Amália, mas nada de ela ir se deitar. O branco dos cabelos dela reluzia a lua. Ambas eram eternas.

Porpeto, o cachorro da casa, também não dormia enquanto Amália não se desse ao sono que custava a vir, e, quando vinha, vinha triste, igual a quem chove, ou chora.

Quando Augusto a chamava de novo, ela, com uma foto do filho amado ao peito e uma lágrima sem lar nos olhos, deixava acesa a lâmpada da sala e enfim se recolhia.

———————————————————————————————————

Doce Mundo Doce

———————————————————————————————————-

Leave a Reply